==
15 ago

Por que as máquinas trabalham com diferentes números de rebolos?

Se você já buscou por equipamentos para a sua vidraçaria, com certeza notou que muitas máquinas semelhantes — e, em alguns casos, aparentemente iguais — apresentam uma diferença que já vem especificada no nome do produto: os números de rebolos utilizados. Enquanto algumas máquinas contam com apenas 5 rebolos, há outras que chegam aos 11. 

Você sabe por que isso acontece? E por que isso influencia o preço e até a atuação destas máquinas? Neste texto que a Vidramaq preparou hoje, nós falaremos sobre a variação nos números de rebolos de uma máquina para outra e indicaremos qual deve ser utilizada em cada caso. Saiba mais abaixo!

 

O trabalho dos rebolos

Antes de começarmos a falar sobre máquinas com diferentes números de rebolos e como essa diferença é sentida, é importante lembrar exatamente qual é a função dos rebolos no processo de beneficiamento de uma peça de vidro. 

Em outro texto do nosso blog, onde falamos a respeito dos tipos de rebolos, nós explicamos como eles funcionam de maneira mais detalhada. Você pode lê-lo neste link.

Contudo, de forma mais básica, há um processo muito bem definido. A função dos rebolos é, especificamente, fazer a agressão, a remoção, do vidro de forma controlada. Para isso, um rebolo mais duro (diamantado) começa fazendo um desgaste grosseiro, outros rebolos (resina e borracha) alisam a superfície aos poucos e, em alguns casos, o último passo, o polimento é feito por um outro rebolo (feltro).

 

A relação entre os números de rebolos e a aplicação dos vidros

E é exatamente a diferença no número de rebolos de uma máquina que fará esse processo variar. No caso de uma lapidadora, por exemplo, quanto mais rebolos ela tem, mais o vidro é lapidado e com mais rapidez a lapidação pode ser feita. 

A verdade é que essa diferença existe porque há casos em que o vidro não precisa ser tão lapidado quanto em outros. Veja abaixo os principais deles e quais são as máquinas e as quantidades de rebolos indicadas para cada um.

 

Engenharia civil — Lapidação

Designs modernos têm contado muito com o vidro para dar um ar mais sofisticado a obras. A engenharia civil utiliza o vidro principalmente para janelas de diferentes tamanhos. Como as peças fazem parte de uma estrutura e são vistas de longe, a lapidação não precisa ser tão bem trabalhada e detalhada.

Máquinas que oferecem um resultado ligeiramente menor, como uma Lapidadora Retilínea Vertical Copo de 5 rebolos, são suficientes neste caso. Vale lembrar que, mesmo que o acabamento seja inferior, a peça continua saindo da máquina sem arestas cortantes nem falhas no corte.

 

Móveis e decoração — Lapidação

Aqui a situação já é diferente. As indústrias de móveis e decoração exigem peças mais bem trabalhadas, delicadas, de aparência cuidada e acabamento bem elaborado. Além disso, elas devem ter o filete muito bem polido e o vidro deve ser translúcido. Este é um dos casos em que a lapidadora deve trabalhar com rebolos de feltro, exigindo, automaticamente, um número de rebolos maior.

O recomendado aqui é, no mínimo, uma Lapidadora Retilínea Vertical Copo de 9 rebolos.

 

Espelhos — Bisotê

Por fim, as biseladoras. Em sua maioria, elas são utilizadas para fazer o bisotê em espelhos e, assim como no caso dos vidros para móveis, eles devem ser bem trabalhados e bonitos. Aqui, tudo irá depender do tamanho do bisotê.

Se o bisotê não fugir do padrão (entre 2 e 2,5 cm), é possível trabalhar com as Biseladoras Retilíneas Verticais de 8 e 9 rebolos. Caso o bisotê seja um pouco maior (por volta dos 3 cm), será necessário um equipamento com capacidade maior em número de rebolos, como a Biseladora Retilínea Vertical Computadorizada Roletada de 11 rebolos.

Para afirmar o que foi descrito anteriormente, consideramos o bisotê de alto padrão, o qual possui a superfície completamente polida, isenta de manchas ou marcas (riscos) e as faces bisotadas em um encontro perfeito da esquadria a 45°.

 

 

Entendeu a diferença que os números de rebolos fazem em uma máquina? Para receber mais conteúdos como este, siga a Vidramaq no Facebook e no Instagram!

RECEBA NOSSAS NOVIDADES POR E-MAIL