==
17 mar

Como precificar os serviços da sua vidraçaria

Se existe uma dúvida muito comum entre vidraceiros que estão começando — e até mesmo entre alguns que já estão há algum tempo no mercado —, com certeza estamos falando da questão de como precificar os serviços. Como a precificação de uma mão de obra pode ser uma questão altamente subjetiva, é normal que esse tipo de dúvida surja.

É importante ter em mente que não basta chutar um preço que você ache justo. Antes de qualquer outra coisa, é preciso avaliar diversas questões — basicamente, todas que influenciam a execução do serviço, diretamente ou não. E foi pensando nisso que a Vidramaq elaborou este texto.

Se você é um vidraceiro que tem dúvidas a respeito de como precificar os serviços da sua vidraçaria, saiba que nós estamos aqui para ajudar. Ao longo deste texto, você verá tudo que deve ser considerado e até mesmo um ponto que não deve ser levado em conta.

Continue a leitura e entenda!

 

Passo a passo de como precificar os serviços

O primeiro passo em qualquer elaboração de orçamento, seja ele em uma vidraçaria ou não, é considerar todos os custos envolvidos. E isso vale tanto para a produção do material quanto sua instalação. Aqui, é importante dividir os custos entre fixos e variáveis.

Custos fixos são aqueles que sua vidraçaria sempre tem, independente daquele serviço específico. Estamos falando de energia, internet, aluguel (se houver), salários de funcionários e outros investimentos do tipo.

Já os custos variáveis são os insumos, como rebolos para máquinas, vidros, ferragens e outros acessórios. Você pode saber mais sobre os custos de uma vidraçaria (e como controlá-los) em nosso texto sobre o assunto; é só clicar aqui.

Depois de considerar todos esses custos, você já terá uma base de pontos que devem ser levados em conta em qualquer orçamento. A segunda base também não costuma mudar: o valor da sua mão de obra. Quanto a ela, nós não podemos ajudar tanto; você é quem deve saber quanto valem seus serviços e acrescentar isso ao preço final.

Por fim, temos a terceira base. Esta sim é muito variável, sempre mudando de acordo com cada orçamento: o tipo de serviço. Como cada serviço — assim como os materiais usados — é muito diferente, você também deve considerar esse ponto. E isso inclui outras particularidades, como o nível de dificuldade de instalação e locomoção até o local.

 

Cuidado com a concorrência!

Quando falamos em como precificar, algo tão importante quanto o que deve ser feito é o que não deve ser feito. Uma prática muito comum de vidraceiros que ainda estão aprendendo a fazer orçamentos é comparar com o restante do mercado. É normal que busquemos ir por um caminho similar ao da concorrência, certo?

Mas tenha em mente que isso nunca deve ser uma das bases mais importantes da sua precificação! Como já citamos, apenas você sabe o valor que seu serviço tem. Muitas vidraçarias apostam no preço baixo para atrair e conquistar clientes. Mas, se elas conseguem aplicar um valor tão reduzido, é porque conseguem gastar menos na execução do serviço. Consequentemente, ele não fica tão bom quanto poderia e deveria.

Clientes que entendem a importância da qualidade irão escolher quem demonstra que entrega o melhor serviço, independente de qual seja o preço. Portanto, vale muito mais a pena seguir as bases que nós citamos na seção anterior!

 

Nossas dicas te ajudaram a entender como precificar os serviços da sua vidraçaria? Nós esperamos que sim! E caso tenha gostado do texto, não se esqueça: siga a Vidramaq no Facebook e no Instagram para receber mais!

RECEBA NOSSAS NOVIDADES POR E-MAIL