==
10 fev

Como controlar os custos da vidraçaria?

Para que se mantenha saudável e rentável, todo negócio deve ter um bom controle de custos. E o caso das vidraçarias não é nada diferente. Como elas são negócios que exigem um investimento alto, é mais importante ainda se preocupar com a gestão financeira. Mas você sabe como controlar os custos da vidraçaria corretamente?

Sabe tudo que deve fazer para garantir a saúde financeira da sua empresa? Se não sabe, este texto será perfeito para tirar todas as suas dúvidas. Abaixo, a Vidramaq lista os principais custos de uma vidraçaria e, por fim, dá 3 dicas para controlar esses custos.

Saiba mais!

 

Quais são os custos de uma vidraçaria?

Quando falamos em custos, o primeiro fator a se considerar é o investimento em equipamentos. Se você possui uma lapidadora ou biseladora, você sabe que elas são máquinas que exigem um certo gasto. Mesmo que tenham sido compradas há certo tempo, é preciso considerar o valor das parcelas.

Além disso, temos os custos fixos, que fazem parte de qualquer negócio. Eles incluem gastos com energia, água, internet, limpeza, segurança e salários dos colaboradores. Se a sua vidraçaria investe em assessoria jurídica, contábil e de marketing, temos ainda mais custos fixos a serem considerados.

Por fim, outro tipo de custo são os variáveis. Alguns dos seus insumos, como os rebolos, por exemplo, devem ser trocados com certa regularidade para garantir a qualidade dos serviços prestados. Outros insumos, como vidros, ferragens e outros acessórios também fazem parte.

 

Como controlar os custos da vidraçaria

Agora que você já os conhece, chegou a hora de saber como controlar os custos da vidraçaria. Acompanhe:

 

1. Registre todo o dinheiro que entra e sai

Todos esses custos que citamos acima devem ser devidamente registrados a cada mês. Assim, você consegue ter o controle de todos os seus gastos. Junto dos custos, registre também cada venda. Assim, você terá o controle de todo o dinheiro que entra e sai, sabendo qual é sua receita, suas despesas e seu lucro.

Existem algumas formas de registrar essas informações, desde escrevê-las em papéis organizados, passando pela listagem em planilhas e chegando até os softwares de gestão para empresas. Na maioria dos casos, os softwares são a alternativa mais organizada e segura.

 

2. Cobre preços justos pelos seus serviços

Muitos vidraceiros veem concorrentes cobrando preços mais baixos e pensam se não deveriam fazer o mesmo. A verdade é que: se você sabe que oferece um serviço de alta qualidade, não há motivos para cobrar menos. No final das contas, a qualidade é o que mais importa, e se o seu trabalho realmente for bom, os clientes irão procurá-lo de qualquer forma.

Cobrar mais barato para tentar vender mais é uma estratégia que pode não dar certo. Quando ela dá errado, você reduz sua receita, e, consequentemente seus lucros, e, no pior dos casos, ainda pode não conseguir arcar com os custos e acabar indo à falência. 

 

3. Previna-se

A última dica deste texto é a mais importante. Lógico que nós nunca queremos que o pior aconteça à nossa empresa, mas precisamos estar preparados para este tipo de situação. Afinal, é impossível prever como estará o mercado amanhã.

Portanto, previna-se. Tenha uma reserva de emergência para poder salvar sua vidraçaria em situações mais apertadas. Dessa maneira, você não precisa ter que começar tudo de novo se o pior acontecer.

 

E aí, o que achou do texto? Já pratica alguma dessas medidas para controlar os custos da vidraçaria? Caso tenha gostado do conteúdo e queira receber mais dicas valiosas para vidraceiros, além de informações sobre vidro no geral, siga a Vidramaq no Facebook e no Instagram!

RECEBA NOSSAS NOVIDADES POR E-MAIL