==
25 jul

A importância da lavagem do vidro no processo de beneficiamento

Beneficiamento de vidros é um processo que pode contar com várias etapas, cada uma com uma função diferente mas igualmente importante para o resultado das peças que chegam ao cliente. E, nessas situações, a lavagem do vidro é tão relevante e indispensável quanto qualquer outro processo. Afinal, qualquer máquina representa modernização, algo que é essencial atualmente no mercado.

Neste conteúdo que a Vidramaq trouxe para você hoje, nós falaremos um pouco mais sobre a lavagem de vidros, como ela influencia o restante do processo e o papel das máquinas para uma lavagem perfeita. Confira abaixo!

 

Lavagem do vidro — por que fazer?

Como você sabe, existem diferentes tipos de vidros. Entre eles, alguns dos que podem ser citados e que são os mais comuns são:

 

— Espelho;

— Low-e;

— Refletivo;

— Laminado;

— Insulado ou térmico;

— Temperado;

— Pintado;

— Entre outros.

 

Via de regra, todos os tipos de vidros devem passar por uma lavagem caso o vidraceiro tenha o desejo de evitar completamente problemas posteriores relacionados a qualquer tipo de sujeira.

E não pense que essa sujeira que falamos é sempre visível. Ainda que em alguns casos o trabalho de outras máquinas (como lapidadoras ou biseladoras) possa deixar, por exemplo, pontos bem visíveis de graxa, a simples manipulação com as mãos pode causar manchas e marcas, seja pela gordura ou até mesmo poeira.

No caso dos processos diferenciados (como laminação e insulamento), a falta da lavagem do vidro feita previamente pode causar danos irreversíveis.

Tome como exemplo os vidros insulados. Como eles passam por um processo onde duas peças de vidro são unidas e vedadas a um perfil de alumínio, fica impossível fazer qualquer alteração depois. Em outras palavras, as sujeiras que lá ficaram, lá continuarão sempre.

 

Para quem trabalha entregando produtos de qualidade estética para os clientes, a venda acaba sendo prejudicada.

 

E o mesmo acontece com os vidros pintados, porém com a diferença de que a sujeira será notada com o envelhecimento da peça e, consequentemente, da tinta.

 

As máquinas para lavagem do vidro

Atualmente, a maioria das vidraçarias que contam com equipamentos para beneficiamento de vidros ainda não possui nenhuma máquina para lavagem do vidro: a lavadora. Pelo fato de interferirem mais diretamente no processo produtivo, as lapidadoras costumam ser a prioridade de quem procura uma máquina para comprar. 

Muitos profissionais da área ainda falham em perceber o valor que uma lavadora acrescenta ao processo. Afinal, a lavagem do vidro pode ser feita manualmente, não? Bom, sim. Mas isso faz todo o beneficiamento ser muito mais demorado e expõe o vidro ao risco de mais manipulações.

Além de tudo isso, ainda temos os fatos que já citamos anteriormente. Muitas sujeiras não são visíveis, e é somente uma máquina lavadora de vidro, com suas lavações por completo, que pode remover até o que não é visto por inspeções visuais descuidadas.

 

Modelos de máquinas para a lavagem do vidro

Existem dois modelos de máquinas para lavagem de vidros. Ambos possuem as mesmas peças e características de lavagem: contam com escovas rotativas de nylon e rolos pressores revestidos com espuma, fazem o mesmo ciclo de lavagem e, por fim, o mesmo estágio de enxugamento das peças.

A única diferença, como você pode ver nas fotos abaixo, é que uma delas é vertical, a outra, horizontal. 

 

 

Lavadoras horizontais, no entanto, são mais recomendadas para linhas de têmpera, ficando localizadas entre os processos de corte e do forno.

 

Não basta passar um pano úmido para dizer que o vidro está lavado. Lavadoras são tão essenciais em uma linha de produção quanto as lapidadoras e as biseladoras, por exemplo. Se você quer contar com uma na sua vidraçaria, não deixe de conhecer as lavadoras da Vidramaq neste link.

E, como sempre, para receber mais textos como este, acompanhe a Vidramaq no Facebook e no Instagram!

RECEBA NOSSAS NOVIDADES POR E-MAIL