==
4 jul

FAQ do Vidraceiro: tire todas as suas dúvidas sobre equipamentos!

Quando o assunto é corte, lapidação e bisotê de peças de vidro, muitas são as dúvidas que surgem. Afinal, não existe uma “escola para vidraceiros”. Todos os conhecimentos são transmitidos entre trabalhadores da área, algo que, por vezes, faz com que informações sejam perdidas.

Pensando nisso, a Vidramaq preparou o FAQ do Vidraceiro. Nele, nós tiramos as principais dúvidas que vimos nossos clientes e outros envolvidos no segmento terem ao longo dos nossos anos de atuação. 

Quer saber tudo que você precisa sobre máquinas para vidraçaria e equipamentos para beneficiamento de vidros no geral? Então acompanhe o FAQ do Vidraceiro abaixo!

 

FAQ do Vidraceiro: as 8 dúvidas mais comuns

 

1. Qual a verdadeira diferença entre o trabalho manual e o de uma máquina?

Como o investimento em equipamentos para beneficiamento de vidros é alto, muitos optam por continuar com o trabalho manual, às vezes por acharem que a diferença não é tanta. No entanto, ela é.

A principal diferença está na rapidez e na precisão. Na execução de mais de uma peça, por exemplo, as máquinas garantem dimensionais exatos. Em uma lixa manual, esta exatidão não é uma garantia.

 

2. Adquirir uma máquina ou terceirizar a mão de obra?

Pelo menos motivo do item anterior, há também aqueles que escolhem terceirizar o serviço. Para saber se isso realmente vale a pena no seu caso, basta fazer alguns cálculos rápidos. O valor que você gasta por mês com a terceirização é igual ou maior do que as parcelas de um equipamento? Se sim, talvez seja a hora de rever seus investimentos.

Além disso, quando você possui a própria máquina, existe a possibilidade de se ter um controle de qualidade muito maior. Afinal, se você quer algo realmente bem feito, faça você mesmo, certo?

 

3. A lapidadora deve ser periférica ou copo?

Ainda que lapidadoras periféricas sejam cada vez menos comuns no mercado, adquirir uma dessas ainda é um risco real. Se você quer um resultado bem feito, evite-as. Até porque, vale constatar, elas não estão caindo em desuso sem motivos, não acha?

O acabamento de máquinas periféricas é mais grosseiro, o que faz com que a usinagem delas não seja recomendada especialmente para vidros de decoração. Como se não fosse suficiente, elas ainda desgastam mais os rebolos, diminuindo a performance deles.

Por fim, opte sempre por lapidadoras copo.

 

4. Em quem confiar na hora de comprar um equipamento?

É aqui que você aprenderá, por exemplo, a diferenciar os equipamentos que citamos acima, caso ainda não saiba. Agora que você finalmente tomou a decisão de adquirir suas próprias máquinas, chegou a hora de escolher o melhor modelo. E agora, em quem confiar?

É comum recorrer a conhecidos que já trabalham na área. Porém, na maioria dos casos, o conhecimento técnico necessário só é garantido com o fornecedor. Portanto, converse com as empresas que comercializam as máquinas, componentes e outras peças. Conheça as diversas opções e, com o auxílio técnico, entenda as diferenças para concluir qual é a melhor.

 

5. Qual é a importância do pós venda?

Nunca é só a máquina. Quando você compra um equipamento, é importante ficar atento a outros aspectos também. Componentes e outras peças sofrem desgaste; isso é normal. Eventualmente você precisará efetuar a troca, e nessas horas é preciso ter o acesso aos produtos da maneira mais fácil possível.

Escolha bem o fornecedor da sua máquina. Veja se ele tem disponibilidade de assistência técnica e como ela atua. Confira se as peças de reposição do seu equipamento podem ser encontradas no Brasil. Todos esses detalhes fazem a diferença e impedem a suspensão da sua cadeia produtiva quando alguma manutenção tiver que ser feita.

 

6. Disposição dos equipamentos: como organizar minha vidraçaria?

Você já parou para pensar nisso? Já imaginou como a sua produção poderia ser muito mais rápida e ágil se tudo que ocupa um espaço considerável na vidraçaria estivesse organizado de forma pensada para facilitar os processos?

É preciso estudar e encontrar uma sequência de equipamentos que faça sentido, um layout lógico. Caso você tenha dúvidas, contrate um profissional. Este tipo de detalhe aumenta a produtividade e reduz o risco de acidentes.

 

7. Posso retrabalhar vidro temperado?

Em alguns aspectos, sim. É possível remover mecanicamente pequenas medidas. Mas é preciso muito cuidado. Uma vez que o vidro temperado sai do forno, ele está finalizado, ou seja, não se pode mais recortar, furar ou usinar a peça.

Por outro lado, para reduzir levemente o dimensional, é possível lixar o vidro com uma certa gramatura que não colida com as bordas. Como você sabe, qualquer dano nas bordas de um vidro temperado faz com que ele se estilhace.

 

8. Posso fazer bisotê em espelhos com 3mm de espessura?

Via de regra, todas as biseladoras convencionais são preparadas para trabalhar com peças que tenham a partir de 4mm. Existem, porém, as exceções. Estas são máquinas equipadas com pinças especiais, as quais permitem um apoio específico da peça e façam com que a máquina consiga trabalhar com espelhos menores.

Ou seja, sim, você pode. Porém, é preciso fazer uso de uma biseladora específica, a qual pode custar até 1,5x o valor de uma biseladora convencional.

 

E aí, tirou suas dúvidas com o FAQ do Vidraceiro da Vidramaq? Quer saber de mais alguma informação que não falamos aqui? Então entre em contato conosco, converse com nossa equipe e saiba tudo que você precisa para sua vidraçaria ser um sucesso!

Quer receber mais conteúdos como o FAQ do Vidraceiro? Então siga a Vidramaq nas redes sociais! Você pode nos encontrar no Facebook e no Instagram.

RECEBA NOSSAS NOVIDADES POR E-MAIL