==
30 jun

Entenda o que é o empenamento do vidro temperado

Quando uma peça de vidro passa por um processo de beneficiamento — qualquer que seja ele —, sempre existe a possibilidade de que algum problema aconteça. É claro que é mais provável que algo assim ocorra quando os equipamentos usados não são os melhores e os métodos não são os recomendados, mas a possibilidade existe em todos os casos. Um dos problemas é o empenamento do vidro temperado, assunto do texto de hoje.

Nos parágrafos seguintes, a Vidramaq relembra o que é um vidro temperado e, em seguida, explica o que é o empenamento do vidro temperado e mostra por que ele pode acontecer à peça utilizada. Continue a leitura e confira!

 

Relembrando: o que é vidro temperado

Antes de qualquer outra coisa, é preciso relembrar o que são vidros temperados. A principal característica deste tipo de vidro, e também o motivo pelo qual é utilizado em situações das mais diversas, é a resistência mecânica até 5 vezes maior que a dos vidros convencionais. Isso faz com que o vidro temperado seja a melhor opção para aplicações que exigem um vidro mais forte — como as da construção civil, por exemplo.

A máquina de beneficiamento usada para produzir o vidro temperado é o forno de têmpera. Sua atuação se dá pelo rápido aquecimento e resfriamento do vidro. Quando a peça passa pelo início do processo e é aquecida, as temperaturas chegam até cerca de 600°C. Depois disso, é o resfriamento que altera a estrutura molecular do vidro, fazendo-o conquistar essa alta resistência.

 

O que é empenamento do vidro temperado e por que acontece

No entanto, como citamos, problemas podem acontecer no meio do processo. É o caso do empenamento do vidro temperado. Para quem não sabe, empenamento é quando há uma distorção da peça, ou seja, uma curva. Em função da mudança de temperatura altamente brusca e a alteração da estrutura molecular do vidro, isso pode acontecer em diferentes graus, dependendo do caso analisado.

No entanto, um certo nível de empenamento é comum, mesmo que baixo. Em função disso, há uma tolerância estabelecida por normas da ABNT. 

Quando há um empenamento total, ou seja, com uma distorção que se estende por toda a peça, a tolerância é de 3 mm por metro linear.

Já na ocorrência de um empenamento localizado, ou seja, em distâncias consideravelmente curtas nas bordas do vidro, a tolerância é de até 0,5 mm.

Fica claro aqui que, por mais que o empenamento do vidro temperado seja algo comum, o que pode acontecer para que a peça esteja de acordo com as normas é um empenamento bem pequeno. Caso contrário, o vidro pode vir a se quebrar depois de instalado, causando transtornos enormes.

Para evitar que empenamentos acentuados aconteçam, é preciso que o operador tenha a experiência necessária e que a máquina usada seja de alta qualidade. Recomenda-se que o software da máquina tenha sensores que controlem melhor a troca de temperatura. Assim o aquecimento e o resfriamento brusco produzem o vidro temperado perfeito.




É por isso que é importantíssimo utilizar um forno de têmpera de alta qualidade na hora de produzir um vidro temperado. Aqui na Vidramaq, nós temos tipos diferentes de fornos, todos muito eficientes e prontos para produzir peças de qualidade. Você pode conhecê-los aqui!

 

E caso tenha gostado do texto e queira continuar recebendo conteúdo, siga a Vidramaq no Facebook e no Instagram!

RECEBA NOSSAS NOVIDADES POR E-MAIL