==
24 jul

Cadeia vidreira: todos os passos para o vidro chegar ao consumidor final

Antes que peças de vidro cheguem prontas ao consumidor final, elas passam por todo um processo — desde a produção do material vidro até a transformação dele em peças. É isso o que chamamos de cadeia vidreira. E é exatamente sobre ela que a Vidramaq fala neste texto.

Abaixo, nós listamos e falamos um pouco mais a respeito de cada um dos 4 setores que fazem parte da cadeia vidreira. Continue a leitura e confira!

 

Os 4 setores envolvidos na cadeia vidreira

 

1. Usinas de base

Todo o (longo) processo da cadeia vidreira começa com as usinas de base. Como o próprio nome já sugere, são elas que oferecem a base para que todo o restante ocorra, ou seja, as usinas de base são as responsáveis pela produção do vidro em si. São elas que possuem a matéria-prima (areia, barrilha, calcário e aditivos) e, posteriormente, transformam-a no vidro.

Elas são fundamentais justamente por darem início ao processo. Nenhum dos setores que vêm depois existiria sem as usinas de base. Para se ter uma ideia do tamanho da atuação delas, estima-se que as principais usinas ao redor de todo o Brasil produzam, em média, mais de 7.500 toneladas de vidro por dia.

 

2. Processadores e distribuidores

A segunda etapa é o processamento do vidro (em que os pedaços brutos produzidos pelas usinas de base são beneficiados e transformados em peças acabadas) e a distribuição das peças para o comerciante final: o vidraceiro. 

Normalmente, é aqui que vidros comuns viram vidros com propriedades especiais, incluindo o vidro temperado, o vidro laminado e o vidro insulado.

Vale citar, porém, que muitos integrantes do próximo setor, os vidraceiros, também podem atuar como processadores — realizando todo o processo de beneficiamento eles mesmos antes de comercializar a peça de vidro pronta. 

Isso dependerá do tamanho da vidraçaria da qual estamos falando; enquanto as menores adquirem seus vidros dos processadores, as maiores podem adquirir diretamente com as indústrias de base e serem elas mesmas os processadores.

 

3. Vidraceiros

Já citamos o papel do vidraceiro algumas vezes. Para o consumidor final, o vidraceiro é o mais importante do processo. Afinal, é ele que comercializa as peças e realiza a instalação delas no local de destino.

Além disso, quando estamos lidando com uma vidraçaria de pequeno porte, ou seja, aquela que pega as suas peças já beneficiadas com os processadores, há muitos casos em que o acabamento final ainda é feito. Pequenos cortes ou lapidadas, por exemplo, são alguns dos toques finais que podem ser feitos.

 

4. Fornecedores de equipamentos

Por fim, a categoria da cadeia vidreira na qual nós da Vidramaq, além de tantos outros, nos encaixamos: a dos fornecedores de equipamentos. Enquanto as anteriores formam um ciclo (com o vidro nascendo nas usinas de base, começando a ganhar forma nos processadores e recebendo o toque final nas vidraçarias), nós podemos estar ao longo de todas as etapas.

Sem nossas máquinas, o beneficiamento dos vidros até poderia ser feito, porém sem toda a precisão necessária e de uma forma bem mais lenta do que a qual estamos acostumados.




E você, já conhecia todos os passos da cadeia vidreira? Esta é uma curiosidade que pode ser do interesse de todos os envolvidos, incluindo vidraceiros e consumidores finais. Caso tenha gostado do texto e queira receber mais conteúdo, acompanhe a Vidramaq nas redes sociais! Nós estamos no Facebook e no Instagram.

RECEBA NOSSAS NOVIDADES POR E-MAIL