==
16 out

Entenda as variações entre os tipos de fornos de têmpera

Os fornos de têmpera estão entre as diversas máquinas para beneficiamento de vidros que devem ser utilizadas por vidraçarias e indústrias que querem atingir a máxima performance de produção. Eles são utilizados para produzir os tão conhecidos vidros temperados.

No texto que a Vidramaq preparou para você hoje, nós falaremos um pouco mais sobre o processo de temperamento de vidros e explicaremos as variações entre os três tipos de fornos de têmpera. Quer entender melhor todo este processo? Então continue a leitura em seguida!

 

Processo de temperamento

Antes de falar sobre os tipos de fornos de têmpera, é preciso entender plenamente o que são os vidros temperados e o processo de temperamento que faz com que as peças fiquem desta forma. Muito utilizado na construção civil, o vidro temperado é conhecido por ter uma resistência mecânica até 5x maior que a do vidro convencional.

É para adquirir esta resistência superior que as peças passam pelo temperamento feito por fornos de têmpera. O processo consiste em aquecer o vidro até cerca de 600°C e depois resfriá-lo rapidamente com com sopros de ar de alta pressão. Isso altera a estrutura física e molecular do vidro, deixando-o mais resistente.

 

Os 3 tipos de fornos de têmpera

Ainda que façam os processos de formas diferentes, os componentes básicos dos fornos de têmpera são os mesmos:

 

1. Mesa de alimentação: é onde a(s) peça(s) de vidro são depositadas pelo operador;

2. Caixa de aquecimento: é onde o processo de aquecimento da(s) peça(s) é feito, de acordo com a temperatura necessária;

3. Bicos sopradores: é onde a(s) peça(s) é(são) resfriadas rapidamente, dando fim ao processo de temperamento;

4. Mesa transportadora: é onde a(s) peça(s) é(são) removidas da máquina e transportadas para o operador que avalia o resultado.

 

Todo o processo é controlado pelo operador através do computador embutido no forno.

 

Plano

Como o próprio nome sugere, os fornos de têmpera planos têm a função de entregar vidros temperados planos. Eles contam com um de cada dos componentes citados acima, fazendo o processo exatamente na ordem descrita.

 

Reverso longitudinal

Diferindo dos fornos planos, os fornos reversos possuem duas mesas de alimentação, duas áreas de bicos sopradores e dois transportadores, sendo a caixa de aquecimento o único componente que vem em apenas uma unidade. Isso tudo para permitir que estes fornos entreguem tanto vidros temperados planos quanto curvos.

Para fazer os vidros planos, o processo é o mesmo do forno anterior. Já para fazer os vidros curvos, a mesa transportadora plana “vira” a mesa de alimentação curva. É graças a essa capacidade de fazer mais de uma parte do temperamento em um só componente que estes fornos são chamados de reversos.

A outra grande diferença aqui em relação aos fornos planos é a mesa e os resfriadores. Para fazer os vidros curvos, a mesa e os resfriadores da máquina é que se curvam. Por estar em um estado pastoso, o vidro também adquire a curvatura até que ele volte ao seu estado sólido novamente.

 

Reverso transversal

Por fim, os fornos de têmpera reversos transversais. Eles são muito semelhantes aos fornos reversos longitudinais, porém com uma mudança significativa: a curvatura que as máquinas fazem é transversal, enquanto no anterior ela é longitudinal.

Esta característica faz com que o forno seja ligeiramente mais preciso, sendo recomendado para peças de vidro menores.

 

 

Entendeu as variações entre os tipos de fornos de têmpera? Qualquer que seja o forno que você esteja procurando, a Vidramaq tem a solução! Em nosso catálogo, nós temos diversas opções de máquinas para beneficiamento de vidros, incluindo os três tipos de fornos. 

Você pode conferi-los neste link.

RECEBA NOSSAS NOVIDADES POR E-MAIL