==
24 out

O que diferencia uma lapidadora bilateral de uma comum?

Você já deve saber que as lapidadoras são as máquinas mais importantes para beneficiar o vidro, certo? Além de serem as principais, elas também costumam ser os equipamentos de entrada, ou seja, os primeiros a serem adquiridos por quem busca modernizar a vidraçaria. No entanto os tipos de lapidadora podem variar, sendo a lapidadora bilateral um exemplo diferenciado.

Mas você conhece esta máquina? Sabe as diferenças que ela apresenta em relação a uma lapidadora comum? É exatamente sobre isso que nós falaremos hoje! Acompanhe o texto abaixo e saiba um pouco mais sobre estes equipamentos e as possibilidades que ele pode oferecer!

 

Lapidadora comum (retilínea vertical)

Começamos falando a respeito da lapidadora sobre a qual você provavelmente já entende pelo menos um pouco: a retilínea vertical. Elas são muito conhecidas por serem máquinas versáteis, visto que qualquer perfil e diâmetro de vidro pode ser colocado nelas.

Porém, elas possuem alguns contrapontos. Por serem verticais, exigem mais esforços por parte do operador, além de apresentarem mais riscos no manuseio da peça de vidro. O fato de exigirem que cada face do vidro seja lapidada individualmente também prejudica, pois torna o processo mais lento.

 

Lapidadora bilateral

Uma lapidadora bilateral, entretanto, resolve estes dois problemas enfrentados por aqueles que utilizam as lapidadoras retilíneas verticais. Para começar, o vidro passa pelo processo na posição horizontal, o que dá mais estabilidade e reduz a praticamente zero o risco dos acidentes com os operadores.

Outro diferencial que deve ser destacado a respeito da lapidadora bilateral é a característica que dá o nome da máquina. Diferentemente dos equipamentos retilíneos verticais, aqui a lapidação é feita em duas faces simultaneamente, o que reduz o tempo de lapidação pela metade.

Para se ter uma ideia da capacidade destas máquinas, algumas lapidadoras bilaterais têm a capacidade de lapidar até 12 metros de vidro por minuto.

 

As diferenças entre as linhas de lapidação

Uma tendência que tem sido observada no mercado de uns tempos para cá é a montagem de linhas de lapidação com várias lapidadoras para facilitar todo o trabalho dos operadores e otimizar e acelerar o processo como um todo. 

Se você quiser saber um pouco mais sobre isso, nós temos um texto inteiramente dedicado às linhas de lapidação em nosso blog, que você pode conferir neste link.

Mas, basicamente, as linhas de lapidação podem ser feitas com os dois tipos de lapidadora, diferenciando-se pela quantidade de máquinas necessárias em cada uma.

Primeiramente temos a linha com as lapidadoras retilíneas verticais. Ainda que tenha suas vantagens, o ponto negativo desta linha é o espaço horizontal que ela ocupa, visto que é necessário unir 4 máquinas lado a lado. Este sistema só será viável em produções com muito espaço disponível.

Por outro lado, mesmo sendo mais rápida e ocupando menos espaço, a linha de lapidação com lapidadoras bilaterais também apresenta uma grande desvantagem. Manutenções em uma das máquinas faz com que a produção seja reduzida em 50%, enquanto no caso das linhas comuns a redução é de apenas 25%.

 

Lapidadora bilateral x Lapidadora retilínea vertical – Qual escolher?

Como você pôde ver, as lapidadoras bilaterais são mais rápidas. Sendo assim, elas são as mais recomendadas para quem tem uma produção grande e precisa priorizar a velocidade na lapidação. Assim como na maioria dos casos quando falamos no beneficiamento de um vidro, a melhor alternativa dependerá de cada vidraceiro e seu nível de produção.

Porém, para qualquer que seja a sua opção, a Vidramaq pode ser o seu parceiro! Em nosso catálogo nós temos diversos modelos de lapidadoras, indo desde retilíneas verticais até as bilaterais. Você pode ver todas elas aqui.

 

 

E para continuar recebendo conteúdos sobre equipamentos para beneficiamento de vidros e todos os processos que os envolvem, siga a Vidramaq no Facebook e no Instagram!

RECEBA NOSSAS NOVIDADES POR E-MAIL