==
12 jun

Curiosidade: você sabe como é feito um vitral?

De todas as possibilidades que o vidro apresenta, uma delas é o desenvolvimento de vitrais. Mesmo que eles não estejam mais em seu auge, ainda podemos encontrar vários vitrais por aí — muitos deles feitos décadas atrás. Mas você já parou para se perguntar como é feito o vitral? Neste texto que a Vidramaq preparou, nós te explicamos como o processo funciona!

Abaixo, você poderá saber melhor o que é um vitral, além de um breve contexto histórico a respeito dele, e também aprender em um passo a passo como eles são feitos. Continue sua leitura na sequência e confira!

 

O que é um vitral?

Antes mesmo de mostrar como são feitos os vitrais, é importante relembrarmos exatamente o que eles são. A palavra vitral tem como origem o termo francês “vitrail”, e nada mais é que uma grande vidraça em formato de mosaico; feita com diversos pedaços coloridos de vidro. A união desses pedaços e o contraste entre suas cores forma representações de cenas ou personagens — normalmente de cunho religioso, visto que a esmagadora maioria de vitrais está presente em igrejas.

Este formato teve o seu auge na Europa da Idade Média, especialmente durante o período arquitetônico que adotou o estilo gótico. Vitrais eram encomendados para as paredes das igrejas, e nelas ficavam servindo como uma forma de retratar histórias contadas na Bíblia. Algumas das principais catedrais do mundo, inclusive, principalmente as francesas, são as que abrigam os maiores vitrais de todo o planeta até hoje.

E não foi à toa que foram as igrejas que adotaram o vitral com mais força: quando a luz bate em um vitral, ele produz um efeito único. A luz do sol, quando passa pelo vitral, ganha toda uma nova intensidade, o que era (e continua sendo) muito relacionado ao grande aumento da espiritualidade no ambiente.

 

Como eles são feitos?

Depois de uma pequena contextualização, chegamos ao que realmente importa: o passo a passo de como é feito um vitral. Somente em olhar para um, já podemos perceber o quanto o processo é minucioso. Afinal, são várias pequenas peças coloridas de vidro que se unem para formar algo muito maior.

A primeira etapa é a elaboração do projeto. É aqui que as medidas do local onde o vitral virá a ser instalado são tiradas. Com estas medidas em mãos, os responsáveis pelo projeto são capazes de definir a dimensão de cada uma das peças, assim como do caixilho onde elas serão aplicadas.

Na sequência, uma conversa com o cliente ajuda a escolher as preferências de formatos e cores, levando em consideração também outros fatores do local, como o restante dos itens decorativos e a direção do sol. Este passo também ajuda na definição exata das peças que serão utilizadas.

Por último, vem a fabricação em si. Ela começa com a produção do desenho em tamanho real, já com a divisão de pedaços. É em cima desse desenho que os moldes de papel para cada peça são feitos. Com os moldes em mãos, os vidros finalmente são cortados, originando as peças. Depois disso, o último processo consiste em ações que aumentam a flexibilidade, a rigidez e a resistência do vidro.

Ao fim de tudo, a instalação — que deve ser feita sempre por um profissional devidamente qualificado — é feita no local, peça por peça.




E aí, gostou de aprender como os vitrais são feitos? Mesmo sendo mais comuns em igrejas, eles podem estar presentes em uma outra infinidade de locais, até mesmo em residências. Caso tenha gostado deste texto e queira receber mais conteúdo da Vidramaq, siga-nos no Facebook e no Instagram!

RECEBA NOSSAS NOVIDADES POR E-MAIL